netoguimaraes' blog


Dicas de um frontend junior

Algumas dicas de um frontenders junior para outros frontenders juniors.

Sempre vejo por aí, perambulando pela internet, aqueles posts revolucionários com títulos chamativos, algo como: “5 dicas para ser o melhor bambambam”, “5 dicas para dominar tal tecnologia” ou qualquer coisa do tipo. Chamo isso de “Síndrome dos cinco passos”. Em 5 passos você vai mudar sua vida, é sempre assim. Esses textos, que em sua maioria são apenas textos comuns que tentam se engrandecer com um título chamativo se tornaram febre nos últimos tempos de web e na verdade não trazem nada de tão maravilhoso assim.

Nos últimos dias, terminando de construir esse blog, pedi umas dicas de design a um professor e a um amigo. E percebi que muito do que aprendi foi vendo, ouvindo e lendo os outros. Acabei por tentar me imaginar em algum momento sendo algum conselheiro ou algo do tipo. E percebi que apesar de não ser especialista em nada, tenho algumas coisas pra falar também. Hoje decidi falar sobre desenvolvimento frontend e dar algumas dicas para quem está começando nessa área. Acho que são valiosas não por eu ter muito conhecimento, mas sim por eu estar utilizando destas dicas e estar sentindo o efeito delas agora, que estou entrando mais a fundo nesse universo que é o Frontend.

Aqui vão as dicas:

Não pare de ler sobre

Seja sobre design, técnicas de css, dicas sobre esquemas de cores, performace ou sobre aquele framework que você quer aprender, o mais importante é não parar de ler. Não digo para você ler o dia todo, mas ao menos ler todo dia um pouco sobre um tema. Com o tempo, se puder começar a escrever sobre também pode ser interessante, pois quando se escreve, se sintetiza, e quando se sintetiza, o conhecimento fica muito melhor armazenado no seu cérebro.

Uma dica que pode ser interessantes para alguns é criar um dailylog sobre as leituras que fez. Simplesmente registrar em algum lugar as leituras que você faz, aconselho usar um repositório no github, pois é fácil de utilizar e te força a usá-lo, o que pode ser bom se você não tem esse costume. Tem muito dev bom por aí que mantem um dailylog e que pode ser interessante acompanhar. Aconselho aqui o do Felipe Fialho.

Veja sempre o Codepen

O codepen é basicamente um parquinho de diversões dos Frontends. É algo que não chega a ser o portifólio, mas dá pra sacar os talentos da galera lá. Existem coisas fantásticas feitas no codepen, que você pode ver o código, forkar, modificar e estudar. Criar o costume de abrir o codepen só pra sacar o que a galera tá fazendo ao redor do mundo é muito bom para sempre ter referências boas na manga. É melhor ainda se você além de ver o Pen rodando, fuça ele direitinho e tenta entender exatamente a lógica que o dev usou para chegar a tais resultados. E quando tiver ideias legais, não hesite em implementar elas e jogar lá. Muitas vezes não fazemos coisas legais por não ter onde aplicar, mas o codepen abriu a janela pra isso: implementar peças independente de se ter o jogo completo ou não.

Conheça outros desenvolvedores e seus trabalhos

Não falo aqui de conhecer todos os grandes desenvolvedores da área, saber seus nomes completos e endereço. Não tô falando também de conhecer todos os Engenheiros Frontend do Facebook. Grandes desenvolvedores não estão somente nas grandes empresas. E também não falo conhecer pessoalmente todos os devs bons do mundo e ser amigo deles. A internet encurtou distâncias, use isso a seu favor. O que quero dizer com este tópico é que você deve entender o valor dos desenvolvedores, acompanhar os que mais te agradam e entender o porque eles dizem as coisas que dizem, porque usam as coisas que usam ou porque fazem do jeito que fazem. Seguir alguns desenvolvedores que você se identifique vai te dar um aporte maior de aprendizado.

Existem além de diversos blogs pessoais por aí, grupos de facebook, fóruns e diversos outros meios de criar uma rede de pessoas que te influenciam de alguma forma. Vou citar aqui o grupo A.P.D.A e o fórum FrontendBr, que considero dois antros de bons devs, apesar de sempre ter algum pé no saco que se acha dono do mundo por saber um pouco mais do que a maioria ou aqueles que querem seu braço quando você só pode dar a mão.

Procure criar coisas do zero

Eu sei que às vezes a gente quer apenas terminar alguma coisa pra poder começar outra, mas não deixe isso fazer com que você coloque os pés no lugar das mãos. Cada coisa em seu lugar. Nem sempre é bom só pegar um tutorial por aí e fazer acontecer o que você queria que acontecesse e deixar por isso mesmo. Se você tiver tempo, gaste um pouco mais dele e faça do zero, você vai entender bem mais das propriedades, dos atributos e vai acabar criando seu próprio “framework” interno, dentro do seu cérebro. Você vai desenvolver um jeito seu de fazer as coisas. É claro que com base em diversas outras coisas que você viu, implementou ou usou.

Um exemplo classico disso é a questão que sempre acaba aparecendo nos fóruns e grupos: “devo aprender bootstrap?”. Não apenas bootstrap, mas diversos outros frameworks de CSS ou JS que agilizam nosso trabalho. Mas o que às vezes acaba se esquecendo é que essas ferramentas são pra quem já domina de CSS ou JS e que querem agilizar o processo. Também é comum achar que deve-se usar sempre preprocessador ou esses tais frameworks. Uma coisa que aprendi: todo framework pode ser útil em algum momento, mas a tecnologia pura é que nunca vai deixar de ser. Por exemplo: há casos em que é melhor não se usar bootstrap, mas você não é idiota pra decidir não usar CSS em algum projeto.

Enfim, faça as coisas do zero se quiser aprender de verdade, pois coisas “prontas” resolverão o problema e ao mesmo tempo colocarão uma máscara no aprendizado.

Procure entender minimamente os conceitos de design

Mesmo se você for apenas um cortador de PSDs, é importante entender de alguns conceitos de design. Mas é óbvio que nem todo dev vai ser um design de primeira mão, mas pra mim é imprescindível ter o mínimo de noção de design, até para pode trabalhar com o designer de forma mais apropriada.

Esse foi um fator que eu vim me dar conta há pouco tempo e estou tentando entender diversos aspectos, como a teoria das cores, arquitetura de informação, flat design e etc. São conceitos que te ajudarão a entender melhor o que você está programando e além disso, vai te ajudar em projetos paralelos. Ao montar o design deste blog por exemplo eu tive certa dificuldade com alguns aspectos de design que não estou tão habituado assim. Mas alguns que já tive um contato maior, pude desenvolver sozinho, como a tipografia, por exemplo.


Acho que as minhas dicas foram pertinentes para os iniciantes, apesar de algumas coisas parecerem óbvias para alguns, para outros não são. As coisas faladas aqui são coisas que eu estou pondo em prática ao longo do último ano, que foi quando comecei a estudar mais a fundo todo o universo de desenvolvimento frontend, principalmente nos últimos meses, quando comecei a trabalhar com isso profissionalmente. Apesar do bom tempo passado e dos conhecimentos adquiridos, sei que estou ainda começando nesse árduo caminho. Espero ter ajudado com alguma das dicas.